sábado

ONDE MORREM OS AVIÕES

   ONDE MORREM OS AVIÕES-LITO SOUZA

        Conheci o Lito Sousa no YouTuber ,onde ele tem um canal sobre aviação, AVIÕES E MÚSICAS onde conta histórias e nos ensina um pouco sobre como funcionam os aviões.

                                                     


 

 Seu livro narra sua adolescência e inicio da carreira de mecânico de avões, através do desafio de trabalhar num país africano, enfrentando todo tipo de dificuldades e situações que testaram sua capacidade profissional e sua determinação em cumprir a missão que lhe confiada.

Logo nas primeiras páginas do livro, o leitor perceberá que ainda bem jovem, suas escolhas já mostravam que a aviação iria fazer parte de sua vida adulta.

Logo no inicio de sua carreira, viu-se diante de uma escolha.

Aceitar trabalhar na Varig ou na Transbrasil? Na primeira ainda teria que passar por um processo seletivo e na segunda, precisava apenas aguardar a chamada para assinar a carteira. Era ficar com a certeza ou encarar o desafio? Escolheu a Varig e deu tudo certo, lá se foi ele para o aeroporto de Congonhas, conhecer onde seria o seu primeiro emprego de carteira assinada.

Lá teve seu encontro com o avião ELECTRA o avião que seundo suas próprias palavras ,"

Ele me ensinou quais os verdadeiros limites de operação de uma máquina projetada para voar"

Era oa ano de 1993, os Electras já haviam sido substituidos porém permaneciam guardados no pátio do aeroporto de Congonhas.

Ele já era inspetor de manutenção , quando o foi apresentado ao Mr.Bing, proprietário da Blue \airlines, do Zaire, empresa aérea que acabara de adquirir  quatro Electras e queria contratar pessoas da manutenção , com o objetivo de dar treinamento de manutenção aos mecânicos da empresa, durante três meses, claro com um bom salário em dolar e outros benefícios. Numa época sem internet, Lito não tinha como saber, se essa proposta era realemnte tão boa quanto parecia.

Então os benefícios e a juventude falaram mais alto e lá foi ele, rumo ao desconhecido.

Logo no começo da viagem, algumas coisas ficaram evidentes.

Primeiro que a segurança não parecia ficar em primeiro plano, ele teria que se arranjar com o que tinha à mão. Depois a alimentação no país era muito diferente além de viverem num clima tendo, sendo obrigados a ser escoltados na ida e retorno do aeroporto, enquanto trabalhavam.

Durante todo tempo que ficou lá, cada dia era um desafio novo. Logo percebeu também que estava de certa forma vivendo em isolamento, sem ter como se comunicar c om a família no Brasil.

Lito conta inúmeras situações que vivenciou no país, desde problemas com a alimentação ao medo constante dos assaltos, além tentar manter os Electras voando em segurança em pistas inadequadas e sem os materiás que precisava.

Foi uma aventura e um grande aprendizado até finalmente rtetornar ao Brasil. Lito escreve de forma clara mesmo quando usa termos próprios da aviação, ele é um contador de histórias nato, não se consegue parar de ler até a ultima página.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é a vida do blog.
se gostou, não deixe de seguir.

As mais visitadas