sábado

O CRIME DO CAIS DO VALONGO

 O Crime do Cais do Valongo-Eliana Alvez da Cruz

Construído em 1811, o cais do Valongo, situado na zona portuária do Rio de Janeiro, foi o local por onde desembaracavam os Africanos escravizados e que  depois eram negociados. 


"O senhor Bernado Lourenço Viana, conhecido comerciante do Valongo, foi achado morto na rua  Detraz do hospício, em frente a huma morada de cazas do sobrado com três janelas de frente"

A narração dos fatos que antecederam o crime, foram feitos  pela escrava  Moana Lómuè e por Nuno Alcântara Moutinho, que auxiliava na investigação, do assassinato do senhor Bernado.O livro mostra esses dois pontos de vista.

Moana ao contrario de outros escravos sabia ler e escrever, porém precisava manter isso em segredo, para a sua segurança.Cuidadva da casa do senhor Bernado, junto com mais dois escravos, Roza e Marianno, a quem considerava sua pequena familia.

Certo dia, aparece um homem na hospedaria onde Moana vivia com o senhor Bernado, Roza e Marianno. Roza é uma cozinheira que faz pratos irresistíveis... E Marianno tem o dom da costura, algo raro na época.

"O estrangeiro disse chamar-se Mister João Toole e que chegou a mim por indicação da religiosa Maria do Carmo...Ele disse que se aproximou do meu amo, o senhor Bernado, com o pretextodas aulas para que pudesse negfociar a conversa comigo, pois é um pesquisador e quer saber alguns detalhes sobre minha vida. Estendeu-me um exemplar da Gazeta aberto na página dos famosos "avisos"

"João Toole,professor da lingua Ingeza,estabelece aula da dita lingua, a qual ensina gramaticalmente..."

Assim, aos poucos ela foi confiando no Mrs.Toole, e contou tudo que passou até aquele momento. Essas conversas eram discretas pois o tal homem desejava que a escravidão tivesse um fim e pretendia divulgar a história do povo de  Moana, em seu país quando retornasse.

Enquanto isso, Nuno tentava também entrar na hospedaria com o pretexto de investigar o crime. Ele no entanto, tinha outra intenção, no passado devia um dinheiro a vitima e só quando encontrasse o papel dessa dívida,e destruísse estaria livre para continuar a sua vida.

Mas no caminho descobriria outros segredos que também precisaria guardar para ter sua liberdade.

A medida que o leitor se aprofunda na história, percebe que Moana, Roza e Marianno, não são escravos comuns, unidos pela dor de sua condição, vulneráveis as crueldades de seu senhor, eles lutam com os dons que possuem para ter justiça e liberdade.

Afinal, o senhor Bernado não é lá essas coisas, seu carater e temperamento violento , além de abusador pode tê-lo colocado no caminho de seu assassino. Não vai ser fácil descobrir quem, quer vê-lo morto, entre tantos suspeitos.

Na minha opinião, O Crime do cais do Valongo, é um livro para refletir, a escritora num momento de total sensibilidade, colocou a realidade da época da escravidão, a crueldade, os castigos, as injustiças paralela a uma investigação policial, que na verdade, acaba perdendo fólego diante da força de personagens como Moana e seus amigos Roza e Marianno. 

Não se consegue para de ler até chegar ao fim e quando este chega, a vontade é voltar a ler.

Outro detalhe é fidelidade da ortografia da época que aparece nos anúncios do jornal.

É um livro com apenas 200 páginas inesquecíveis!

A autora Eliane Alvez da Cruz, é carioca,escritora e jornalista. E tem outras obras publicadas que pretendo ler em breve.   

                                          Sobre o cais do Valongo         

Em 2011,durante a escavação das obras de revitalização da cidade, foram descobertos dois ancoradouros, além de amuletos, objetos de culto originários do Congo, Angola e Moçambique.

Em 2017, foi declarado Patrimônio Histórico da humanidade pela Unesco, por ter sido o único vestígio material da chegada dos Africamos nas Américas.

complexo do Valongo:

o lazareto: Hospital de quarentena para os recém chegados doentes.

casas de engorda: Local onde eram alimentados para serem vendidos

armazéns de venda: local onde eram vendidos.

cemitério de pretos novos: vala comum onde eram jogados os africanos que chegavam sem vida. 


22 comentários:

  1. nossa, parece ser um livro bem legal
    eu gosto muito de ação, mas esse eu ainda não conhecia
    adorei

    www.mundodasmulheresbrasil.com

    ResponderExcluir
  2. História sobre a escravidão são sempre histórias tristes, pelo fato de os escravos serem mal tratados, pela crueldade dos senhores daquela época, mais gostei muito da sua resenha, é um livro que vale a pena ler, bjs.

    ResponderExcluir
  3. Além da escravidão e a realidade da época, um mistério por trás de um assassinato. A história me pareceu bem atraente. O tipo de livro que vale a pena dar mais do que uma olhada! bjos

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Eu adorei a sugestão de livro é bem interessante 🙂 já quero ler

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Realmente parece ser um livro com bastante indagações e debates, até por conta das temáticas que são abordadas. Para mim, seria uma leitura sensível, mas acho que super necessária. Quero um dia sim tentar. Adorei a resenha e dica!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Tânia,

    Gosto bastante quando uma leitura me leva a refletir e esse foi apenas um dos pontos que me deixou curiosa por essa narrativa. Adorei saber que a época foi retratada com toda a crueldade existente e que esse é o tipo de livro que devoramos de uma vez, além dos suspeitos serem muitos. Anotei a dica aqui!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Opa! Esse livro parece ser bem intenso. Adorei a sua resenha!

    ResponderExcluir
  8. Esse livro eu nao conhecia, mas adorei a sua resenha!

    ResponderExcluir
  9. Parece bem interessante. É uma época bem triste.

    Coisas de Feltro

    ResponderExcluir
  10. Vim correndo ler a resenha depois que vc me indicou esse livro, e já pus ele na minha fila! Acho que todas as pessoas deveriam ler livros nesses estilos para entenderem certas coisas com menos ignorância; Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que bom flor,fico muito feliz,bjus.

      Excluir
  11. Não conhecia o livro mais adorei a resenha,me deixou curiosa vou procurar para ler.

    ResponderExcluir

Seu comentário é a vida do blog.
se gostou, não deixe de seguir.

As mais visitadas